Dr. Roberto Miotto
Urologista
CRM - 52 40832-8
Formado pela FMC
roberto.miotto@bol.com.br
DOR TESTICULAR: ORQUIALGIA

Orquialgia que significa dor testicular, pode ter origem em anormalidades dos testículos, epidídimos e cordão espermático ou extratesticulares como: hérnias inguinais, cálculo urinário ou até mesmo, hérnias de disco intervertebrais. Uma história e exame físico detalhado geralmente chega ao diagnóstico, mas, muitas vezes, necessitamos de exames complementares para conclusão final.

Abaixo, citaremos algumas das mais comuns causas de orquialgia

  • Orquites: consiste na inflamação do testículo podendo ter origem bacteriana, viral ou traumática, geralmente de início súbito, com dor de forte intensidade e aumento de volume, febre, mal estar, podendo ser secundária a infecção do trato urinário (cistite, uretrite) ou viral com por exemplo, na caxumba.
  • Epididímites: inflamação que geralmente se inicia na cauda do epidídimo, secundária a infecção urinária, doenças sexualmente transmissíveis e no idoso, muitas vezes associados à hipertrofia prostática ou manipulação do trato urinário inferior como cateterismos ou cistoscopias. Podem ser agudas ou crônicas e estar associadas também a inflamação testicular caso conhecido como orquioepididímite. Estes quadros principalmente em jovens na puberdade devem ter como diagnóstico diferencial a torção testicular que necessita de tratamento urgente. O tratamento das orquioepididimites é baseado no uso de antibióticos, antiinflamatórios, analgésicos e repouso com necessidade de cirurgia somente nos casos complicados por abcessos.
  • Varicocele: causa comum de orquialgia, consiste na dilatação varicosa das veias testiculares, geralmente do testículo esquerdo, que melhora com repouso com o paciente deitado...o diagnóstico é clínico mostrando veias dilatadas palpadas no cordão espermático, examinando o paciente em pé, mas algumas vezes, necessitamos de ultrassonografia com doppler para mostrar refluxo venoso. O tratamento depende da sintomatologia, grau de dilatação, podendo ser causa de atrofia testicular ou alterações da espermatogênese com infertilidade, presente em 25% dos homens com varicocele.
  • Tumores de testículo ou epidídimo: podendo ser benignos como nos casos de cistos simples ou tumores malignos, cursando com nódulo duro ou fixo, doloroso com aumento progressivo de volume. O diagnóstico se baseia no exame físico complementado com ultrassonografia, e dosagens laboratoriais específicas quando suspeitar de tumores malignos. O tratamento deverá ser cirúrgico, com retirada do testículo, epidídimos e cordão espermático para análise histopatológica.
  • Traumas testiculares: principalmente não penetrantes podendo causar ruptura da cápsula testicular ou epidídimos, sendo o diagnóstico baseado na história e exame físico também complementada com ultrassonografia e algumas vezes, exploração cirúrgica diagnóstica e terapêutica. O tratamento nos casos leves a moderados consiste em compressas de gelo local associado a elevação testicular com suspensório  e analgésicos.
  • Hidrocele: consiste no acúmulo de líquido no interior escrotal podendo ser de origem inflamatória ou traumática que com aumento do volume escrotal, pode causar desconforto e dor local. O diagnóstico baseia-se no exame físico com transiluminação com fonte de luz em direção ao escroto, necessitando também ultrassonografia devido dificuldade em palpação intraescrotal quando hidrocele volumosa. O tratamento é realizado através de punção e injeção de substâncias esclerosantes nas hidroceles pequenas ou cirúrgico o qual apresenta menor índice de recidiva.
  • Torção testicular: de todas as causas de orquialgia é a que necessita mais atenção necessitando de tratamento urgente. Apresenta-se principalmente em jovens na puberdade, com início súbito, muitas vezes durante o sono, com dor, aumento de volume local, náuseas, vômitos e eventualmente, febre. O testículo gira sobre seu próprio eixo, chegando a torções completas de 360º, interrompendo o aporte de sangue com infarto e necrose testicular.

No exame físico, evidenciamos aumento doloroso testicular, que se encontra em uma posição mais elevada e quando elevamos ainda mais, ocorre melhora discreta da dor. O diagnóstico de certeza deve ser complementado com ultrassonografia + doppler que mostrará interrupção do fluxo sanguíneo intratesticular. O tratamento é sempre cirúrgico e urgente, visto que o tempo ideal é inferior a 6 horas do início dos sintomas com preservação testicular em 80% dos casos, porém quando superior a 12 horas esta taxa é inferior a 20%. Nos casos em que a suspeita é de torção, mas não temos meios diagnósticos complementares para fechar o diagnóstico, está justificada exploração cirúrgica na tentativa de preservar a integridade testicular, que consiste na distorção testicular e fixação do mesmo para evitar novos episódios associados a fixação do testículo contralateral profilaticamente.

Outras causas

Hérnia inguino-escrotal que causa dor na região escrotal aos esforços e desaparece quando o paciente deita enquanto os casos de cálculos ureterais e hérnia de disco intervertebral causam dores com irradiação para os testículos.

Na maioria dos quadros de orquialgia, podemos estabelecer o quadro etiológico, porém, existem casos crônicos e idiopáticos onde após todos os exames não conseguimos chegar à origem da dor, tratando estes pacientes com medidas inespecíficas para alívio dos sintomas.

Voltar
Copyright Saudepress.com - Todos os direitos reservados.