Revista Saúde Perss
CAPA | ENTREVISTA
Dr. Rogério Venancio
Cirurgião Plástico
CRM 52 31757-4

Revista Saúde Perss

Dr. Vinícius Corrêa
Dentista
CRO 32 237
Formado pela Faculdade de Odontologia de Campos | Mestrando em Implantodontia | Especialista em: Implantodontia, Periodontia e Radiologia
@vinacorrea
viniciusgcs@hotmail.com
POR QUE INSISTIR EM TENTAR USAR PRÓTESES DENTÁRIAS REMOVÍVEIS?
Os grandes prazeres da vida estão relacionados à saúde dos dentes e de toda cavidade oral. A pessoa que perde os dentes e precisa conviver com próteses removíveis sofre com a ausência de importantes condições básicas para uma vida feliz:
• Perda da eficiência mastigatória;
• Insegurança ao falar;
• Insegurança ao sorrir;
• Diminuição da capacidade de sentir o sabor e a textura dos alimentos;
• Perda da autoestima;
• Náusea, salivação excessiva;
• Problemas gástricos (dificuldade de triturar adequadamente os alimentos).

Mas, afinal, há condição de viver uma vida feliz e plena sem poder sorrir e mastigar com total segurança? Essa resposta parece óbvia e respondida no início da matéria embasada cientificamente por diversas publicações. Apesar disso, muitos pacientes ainda chegam à clínica com algumas dúvidas que tentarei explicar:

Preciso ficar sem os dentes durante o período de tratamento?
Não. Na maioria das vezes, inclusive, resolvemos os casos com carga imediata, ou seja, o paciente já sai com a prótese fixa nos implantes instalados (em alguns casos, isso não é possível e depende de uma avaliação). Mesmo para casos que impossibilitem a carga imediata, é possível uso de próteses provisórias removíveis ou fixas.

A cirurgia de implante dói?
Não. As técnicas e materiais utilizados já evoluíram muito nos últimos anos. Interessante destacar, inclusive os planejamentos digitais e técnicas de cirurgia guiada que são mais rápidas, menos invasivas e possibilitam retorno dos pacientes às atividades profissionais e sociais.

Uso dentadura há muitos anos. Será que ainda tenho condição de fazer implantes?
Sim! As técnicas de ancoragem, desenho e tratamento de superfície dos implantes atuais evoluíram muito, sendo possível resolver de forma simples. Além disso, para casos em que o paciente já apresenta maior reabsorção óssea, também é possível a reabilitação através das técnicas reconstrutivas (com uso de enxertos ósseos).

Se nos implantes não surgem cáries como nos dentes, preciso me preocupar tanto em limpar e fazer as manutenções periódicas?
Sim! Apesar de não surgir cárie, há possibilidade de surgimento das doenças peri-implantares, que são inflamações nas gengivas ao redor dos implantes da mesma forma que acontece ao redor dos dentes, causando sangramento, mal hálito, impacção alimentar e até perda dos implantes.

Como saber se estou apto a fazer implantes?
Através de uma avaliação clínica minuciosa e exames complementares, como:
• Exames de imagem;
• Tomografia;
• Radiografias e fotografias;
• Exames de sangue;
• Dependendo do perfil do paciente e informações colhidas na avaliação clínica.

Caso tenha ficado qualquer dúvida teremos o maior prazer em respondê-las através dos nossos contatos: contato@qualitee.com.br.

Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.