Revista Saúde Perss
CAPA | ENTREVISTA
Dra. Deborah Casarsa
Médica Geriatra
CRM 52 68110-5

Revista Saúde Perss

Evaldo Rodrigues de A. Junior
Psicanalista Clínico
Hiponoterapeuta
Membro da Sociedade Brasileira de Psicanálise

@evaldo.psicanalista
evaldorodriguespsicanalista
evaldorodriguespsicanalista@gmail.com
É PRECISO SABER VIVER!
Quem já não ouviu ou cantou estes versos da música?

Adeus Ano velho,
Feliz ano novo
Que tudo se realize no ano que vai nascer...

E ao fazer isso, se lembrou de perdas, se lamentou do que não fez...fez promessas e projetos para um novo ano.

O desejo é uma força inerente a todos nós, somente os humanos têm sonhos para o futuro, porém, todo o final de um ano deve representar para nós uma oportunidade de balanço, não somente de um balanço financeiro, profissional, amoroso... mas, principalmente, de um balanço psicológico.

Cada ano que termina, deve, pois, representar um ciclo que se fecha e que merece uma análise. Fazer o balanço implica em pensar: como estamos lidando com nossas emoções, sentimentos, como estamos amando os outros e a nós próprios, qual tem sido a qualidade de nossas relações afetivas, o quanto estamos crescendo como pessoas ou deixando ser levado pela vida.

O Ano Novo não será novo se mantivermos os mesmos padrões velhos...

Os sonhos só se realizam quando investimos nossa energia, vontade, determinação e ação sobre eles.

Os anos são feitos de meses, os meses são feitos de dias, os dias são feitos de horas e as horas de minutos. Pode parecer muito lógico isso, mas no decorrer da vida, nossa mente quase sempre fica presa a um tempo que não é o presente, hora fica navegando para o passado das saudades, lamentações e perdas ou hora fica navegando para o futuro das coisas que ainda não ocorreram.

O grande iluminado Dalai Lama tem uma frase maravilhosa que merece ser meditada:

        “Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente, viver.”

Na clínica psicanalítica encontramos todos os dias pessoas que adoecem porque não compreendem bem essa simples verdade. O único tempo que podemos agir sobre ele é o agora.

O Transtorno de Ansiedade por exemplo sob o ponto de vista psicológico é quando a mente se fixa num objeto, pessoas ou num momento que não ocorreu ainda e que dá a pessoa a sensação de total impotência e inquietude, provocando os sintomas variados que já bem conhecemos.

Aprender a focar no presente é um exercício que merece ser cultivado, portanto, praticar meditação é um excelente recurso para tal. Aprender a viver intensamente cada minuto como se ele fosse o último. Ao tomar um café da manhã ou fazer uma refeição, saborear e sentir cada alimento; ao conversar com as pessoas estar inteiro na conversa e curtir; ao ler um livro, ouvir uma música, praticar um esporte...estar de corpo e alma presente.

Isso é saber viver!
E como diria o rei Roberto Carlos: É preciso saber viver!

Se não aprendermos a viver cada momento, a trazer nossa mente para o presente de cada minuto estaremos adoecendo todos os dias. Isso não significa que não devemos fazer planos para o futuro, é claro que temos que fazer, mas o que estamos tratando aqui é que esses planos precisam ser executados cada dia no seu tempo, sem ansiedades...

Ser feliz não é uma questão financeira, pois se fosse, os milionários e bilionários seriam completamente felizes e não teriam depressões e nem doenças emocionais, mas as mídias nos informam todos os dias o contrário disso, dos sofrimentos de ídolos com fama, poder, beleza e riqueza.

A felicidade tão almejada não é uma estação de chegada, mas, a forma como a gente viaja...ela está pois, no percurso como se viaja.

Se perguntarmos quais os momentos mais felizes que tivemos desde o ventre de nossa mãe, certamente iremos perceber que foram aqueles mais recheados com afetividade, amor...ao lado das pessoas que mais amamos.

Seja feliz fazendo de cada minuto um minuto feliz!

E no final do dia, você dirá para você mesmo: valeu cada minuto que vivi hoje!

Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.