Revista Saúde Perss
CAPA | ENTREVISTA
Dra. Lana Maria Pereira da Silva
Médica Psiquiatra
CRM 52 69489-4

Revista Saúde Perss

Evaldo Rodrigues de A. Junior
Psicanalista Clínico
Membro da Sociedade Brasileira de Psicanálise

@evaldo.psicanalista
evaldorodriguespsicanalista
evaldorodriguespsicanalista@gmail.com
MARIONETES, ASSUMA SUA VIDA!
Quem nunca ouviu a frase: Freud explica!

Fale agora ou cale-se para sempre. Esta frase virou um bordão ou na linguagem de hoje, viralizou de tal forma que usamos repetidas vezes para justificar tudo que não conseguimos entender de forma clara e objetiva que acontece conosco, com os outros ou com o mundo ao nosso redor.

E por que Freud explica faz todo o sentido?

Porque no aprofundamento do estudo do inconsciente (parte maior da psique humana), feito por este eminente e nobre cientista, e na influência direta deste inconsciente em nossas vidas explica quase tudo que somos hoje. Portanto, nossa relação com os nossos pais na infância tem uma repercussão tão grande no que somos hoje, que quase sempre repetimos comportamentos e atitudes de forma consciente e inconsciente de algo que negamos, reprimimos ou incorporamos um dia. Reparem que eu disse quase tudo, porque se fosse tudo, teríamos que admitir nossa completa irresponsabilidade sob nossos atos, já que seríamos unicamente frutos desta relação. E aí, os filhos poderiam sempre dizer: sou assim, porque meus pais me fizeram assim...

Filhos abandonados, abandonariam...filhos traídos...trairiam...

E assim por diante.

O grande e saudoso compositor Renato Russo na música “Pais e filhos” provocou e provoca ainda toda uma juventude:

“Você me diz que seus pais não lhe entendem
Mas você não entende seus pais
Você culpa seus pais por tudo
E isso é absurdo
São crianças como você
O que você vai ser
Quando você crescer?”

É importante lembrar que o crescimento de uma pessoa não está na idade cronológica, mas no amadurecimento, pessoal, social, emocional e psicológico que esta pessoa demonstra diante do convívio com a sociedade. Portanto, ainda temos muitos marmanjos e marmanjas infantilizados.

E aí entra uma assertiva importante a fazer para quem deseja se conhecer através da análise. A de que: se Freud explica, agora Freud implica.

Implica em retomada da vida, na revisão de valores, de posturas, de comportamentos repetidos sem qualquer reflexão. Implica na forma conforme estamos nos relacionando com os objetos e as pessoas. Como amamos ou deixamos de amar...

Implica em passar os conteúdos descobertos em nós pelos filtros da ressignificação, para que haja uma mudança autêntica e verdadeira em nós.

Afinal de contas quem somos nós nos tempos em que vivemos?

Pessoas seguras, maduras...ou simples marionetes?

Portanto, fica parte de um texto que escrevi há algum tempo na página do meu Instagran @evaldo.psicanalista e que teve centenas de compartilhamentos e milhares de envolvimentos:

Nunca deixe o mundo fazer de você uma marionete...

Ídolos falsos ditarem seus comportamentos...o que você veste, come, gosta e consome...

Nunca deixe o mundo fazer de você uma sombra...

Que não tem vida, alma ou vontade...

Nunca se permita ser uma cópia feita em papel carbono, xérox desbotado.

Ou ser cópia malfeita de um original borrado.

Seja você o autor da sua própria História e não, a estória que mundo te faz.

Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.