Revista Saúde Perss
CAPA | ENTREVISTA
Fabrício Bastos
Educação Física
CREF/RJ 02 6331

Revista Saúde Perss

Dr. Carlos Fabian Seixas de Oliveira
Médico-Oftalmologista
CRM 5270262-5
Diplomado pela FMC
Membro do CBO e SBO
carlosfabian@globomail.com
AUTOMEDICAÇÃO E A SAÚDE DOS OLHOS
Atire a primeira pedra quem nunca se automedicou! Se os sintomas forem nos olhos, então, sempre tem um parente ou vizinho com um colírio à mão ou aquela solução com plantas ou ervas. O que nem todos sabem é que usá-los por conta própria pode trazer sérios riscos à saúde dos nossos olhos.

A automedicação é um risco muito grande. O que foi eficaz para alguém nem sempre é eficaz para nós. Cada organismo reage de um jeito, não se pode prever. Os olhos ficam expostos ao ambiente e possuem estruturas muito sensíveis e por isso, é preciso cuidá-los de forma adequada.

Colírios são medicamentos e só devem ser utilizados após avaliação de um médico. Mesmo aqueles colírios lubrificantes que ficam a mão nas prateleiras das farmácias podem causar problemas se não forem indicados corretamente, principalmente, em períodos em que o tempo está mais seco. Os colírios para tratamento da conjuntivite oferecem risco mais elevado ainda, pois muitos contêm antibióticos que ao serem usados indiscriminadamente, podem levar a resistência bacteriana. Muitos desses colírios, também, possuem corticóide, que se usados sem uma avaliação médica, podem trazer consequências danosas aos olhos.

Em hipótese alguma, medicamentos que não sejam para uso oftalmológico devem ser usados nos olhos, como pomadas ou cremes dermatológicos.

Além dos riscos de reações adversas causadas pelos medicamentos, a automedicação pode atrasar o tratamento, agravar o quadro e disfarçar sinais e sintomas de doenças mais graves. Os colírios possuem diversos princípios ativos e alguns são responsáveis por reações alérgicas, felizmente raramente fatais, mas que podem trazer incômodos severos.

Diante de desconfortos oculares, a avaliação de um médico oftalmologista é fundamental e não deve ser negligenciada. Somente o especialista poderá avaliar a situação em sua totalidade e não tratar somente dos sintomas. Dessa forma, é possível prevenir complicações e obter um diagnóstico precoce, grande aliado do sucesso do tratamento.

Saiba a forma correta de se aplicar o colírio prescrito pelo seu médico:

•  Antes de pingar o colírio, lavem bem as mãos com água e sabão;
•  Puxe a pálpebra inferior com o dedo indicador e com a outra mão segure o frasco. Para facilitar a aplicação, incline a cabeça para trás. Pingue o colírio, mais ou menos no meio da pálpebra inferior, nunca no canto nasal. Pingue o colírio sem encostar a ponta do frasco nos olhos.
•  Feche os olhos por alguns segundos, pressionando levemente com o dedo indicador o canto nasal do olho. Assim, você evita que o colírio vaze para fora dos olhos. Espere uns 10 segundos e pronto, seu colírio foi pingado corretamente.

Não coloque sua saúde em risco. A automedicação pode trazer consequências danosas à nossa saúde, principalmente, por esse órgão tão delicado e complexo como nossos olhos. Visite anualmente seu oftalmologista.

Assim, sua visão estará garantida. 

Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.