Revista Saúde Perss
CAPA
Laboratório Pedra Verde

ENTREVISTA
Dr. Marco Antônio Neves Iack
Farmacêutico Bioquímico
CRF-RJ 6597
Revista Saúde Perss


Dr. Olavo Ferreira de Siqueira
Médico Geneticista
CRM-RJ 52 96973-0
Título de Especialista em Genética Médica
Assessor Científico do Setor de BioMol do Laboratório Plinio Bacelar
olavofsiqueira@gmail.com
Entrevista Dr. Olavo Ferreira de Siqueira
Por ser um profissional médico, clínico em doenças raras, em um país onde existem somente cerca de 300 outros nesta área, faz com que o médico geneticista Olavo Ferreira de Siqueira, de 33 anos, nascido em Bom Jesus de Itabapoana no Norte do Estado do Rio de Janeiro não pare. Durante a semana, Dr. Olavo se desdobra entre sua cidade natal, além de Campos dos Goytacazes, Cachoeiro de Itapemirim, no Sul Capixaba, e ainda em Brasília, capital do país.

Assim é a vida do geneticista - profissional da área da saúde que atua no estudo dos genes e das informações neles contidas, e também  é especialista em oncogenética - parte da genética que identifica pacientes com alto risco para o desenvolvimento de câncer. Formado há apenas oito anos, Dr. Olavo explica que no Brasil, ainda existem poucos em sua área, mas, que a tendência é aumentar o número de profissionais.

Estudos recentes comprovam que de 5% a 10% dos cânceres são hereditários. E que existe possibilidade de detectar quais pessoas possuem risco de desenvolvimento para determinados tipos de câncer. Esta possibilidade se dá através da prática de oncogenética, uma fusão da oncologia com a genética, e se enquadra na medicina preventiva, que é capaz de detectar um possível desenvolvimento de câncer antes da manifestação dos sintomas, possibilitando o aumento das chances de cura. A oncogenética consiste em um importante trabalho preventivo personalizado, baseado na genética do paciente para poder identificar as mutações gênicas diretamente associadas à incidência de câncer.

Um caso famoso relacionado à prática da oncogenética é da atriz Angelina Jolie. A mãe da atriz faleceu em 2007 devido a um câncer de mama causado pela alteração de um gene chamado BRCA1. As características hereditárias da doença de sua mãe, colocaram Jolie dentro de um grupo de risco, no qual ela teria 87% de chances de desenvolver um câncer de mama e 50% de ter um câncer no ovário. Ao procurar o serviço de oncogenética, ela optou por realizar tratamento através da cirurgia.

Dr. Olavo é formado pela Universidade Federal do Acre desde 2012. Também trabalhou no Programa Médico de Família na cidade onde nasceu, Bom Jesus de Itabapoana. Também atuou no Programa do Governo Federal, o Mais Médico. Sua especialização em genética foi no Hospital Universitário Gaffrée Guinle e a especialização em oncogenética no Hospital do Câncer em Barretos, São Paulo.

SP - Como é essa rotina de trabalho de uma cidade para outra e até mesmo, de um estado para outro?
OFS - A gente consegue desenvolver bem, basta ter disciplina. De 15 em 15 dias estou em Campos, dando assessoria científica no Laboratório Plinio Bacelar e, ainda, dando consulta na Clínica Santa Maria às terças-feiras, de 15 em 15 dias, neste último local atendendo particular e convênios. Já em Cachoeiro atuo na área de oncologia no Hospital da Unimed Sul Capixaba. E em Brasília atuo no Hospital Santa Lúcia. Quando a gente faz o que gosta, tudo torna-se mais fácil.

SP - O que é um geneticista?
OFS - Um geneticista é um profissional da ciência e da saúde, que atua no campo da genética. Os geneticistas estudam os genes e as informações contidas neles, que controlam os organismos vivos, e também a interação dos genes com o ambiente e os fatores ambientais que levam a condições adversas. Para se tornar um geneticista, é necessário cursar a residência de genética médica. Como geneticista, o profissional pode trabalhar em muitos campos diferentes tais como: ensino, desenvolvimento de drogas, agenética clínica, onde realizamos consulta com aconselhamento genético, terapia gênica, pesquisa clínica, genômica e biotecnologia, bioinformática, genética microbiana, e genética forense...

SP - O geneticista, então, é um clínico de doenças raras. De que forma é a atuação deste profissional?
OFS - O geneticista atua realizando consultas médicas, junto com aconselhamento genético nos pacientes desde os que nascem com má formação genética, inclusive, o que pode ser diagnosticado durante a gravidez. Mas a atuação é muito ampla, também em caso de infertilidade conjugal, abortamento, doenças neuro-degenerativas, casos de câncer hereditário, triagem neonatal, fertilização assistida, casos de deficiência intelectual, autismo, entre outros.

SP - O que é oncogenética?
OFS - É chamada de oncogenética a área da Medicina que estuda e analisa as mutações nos genes de pacientes sadios ou que já possuem diagnóstico de câncer. O intuito é identificar mutações transmitidas de geração em geração, em genes relacionados à maior risco para desenvolvimento de tumores malignos. A identificação de uma mutação permite individualizar a estratégia de acompanhamento do indivíduo, auxilia na prevenção e na detecção precoce de tumores associados às características genéticas herdadas dos pais. A oncogenética trabalha com o paciente e com sua família. Durante uma consulta de aconselhamento genético, o oncogeneticista colhe a história familiar do paciente e de pelo menos 3 gerações da família. O objetivo é de identificar os portadores de mutações com transmissão hereditária que aumente o risco de desenvolvimento do câncer no decorrer da vida e, assim, propor estratégias preventivas que reduzam risco. De modo geral, a ocorrência de vários casos de câncer na mesma família pode apontar a hereditariedade como fator de risco para o desenvolvimento da doença. Nesses casos, a oncogenética atua identificando se os tumores são resultantes de mutações herdadas dos pais e transmitidas por gerações na família.

SP - E a oncogenética, como é a atuação do profissional?
OFS - Essa é a parte da genética, como o nome diz, voltada para o câncer. É a genética das pessoas que já nascem com a pré-disposição para ele e, através de exame, o profissional poderá saber o risco. Mas, o teste somente poderá ser pedido para àquelas pessoas que têm uma indicação para isso.

SP - O que é teste genético?
OFS - O teste genético é um exame que permite explicar por que determinadas famílias apresentam inúmeros casos de câncer em diferentes gerações. A avaliação é feita a partir de uma amostra de sangue ou saliva, que permitem a extração do DNA das células para sequenciamento capaz de apontar a existência de mutações relacionadas a risco de desenvolvimento de câncer. Caso uma mutação seja detectada, o especialista em oncogenética realizará uma orientação oncológica específica com base no risco e direcionada para o paciente e seus familiares, através do aconselhamento genético. Desta forma, é possível estabelecer uma abordagem preventiva que tem como objetivo a detecção precoce do câncer.

SP - Que tipo de indicação?
OFS - Por exemplo, mulher com câncer de mama em idade pré-menopausa, casos de câncer de ovário, repetição de caso de câncer de mama na família, câncer de estômago abaixo de 40 anos, câncer de intestino abaixo de 50 anos, sarcoma, tumores cerebrais, além de associação de câncer na família, entre outros.

SP - Seria então um trabalho de prevenção e também tratamento?
OFS - A maioria dos casos é para prevenção e diagnóstico precoce dos tumores. É assim que se salva vidas. No caso de câncer de mama, por exemplo, existem 95% de chance de cura se for diagnosticado de forma precoce.

SP - Então, o geneticista é como se fosse um médico de família, que acompanha o paciente ao longo da vida. Seria isso?
OFS - É bem por aí sim. A partir do momento em que o profissional faz o diagnóstico genético do paciente, não perde mais o contato com ele, ou seja, vai diagnosticando, vai cuidando até onde puder, muito parecido com o profissional do Programa Médico de Família.

SP - No Laboratório Plinio Bacelar, em Campos, como que é sua atuação?
OFS - Dou assessoria científica, avalio alguns pedidos de exames dos colegas, entre outros. O Laboratório Plinio Bacelar até agora só deu resultados bons de testes, a metodologia de avaliação laboratorial é de excelência clínica.

SP - O histórico familiar do senhor é de médicos, está realmente no seu DNA. Fale um pouco sobre isso...
OFS - Verdade. Meu pai, Dalton Ghiotti é psiquiatra, meu tio Nilton Ghiotti é cirurgião geral no Acre, meu tio Aloísio Tinoco é intensivista em Bom Jesus, meu irmão Pedro Siqueira também é psiquiatra e vai começar a atender em Campos também. E, ainda, meu primo Hugo Câmara é anestesista. Realmente está no sangue da família.

Facebook – olavo siqueira
Instagram – olavoff
Twitter – olavoff3

Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.