Revista Saúde Perss
CAPA | ENTREVISTA
Dayane da Silva Alves
Fonoaudióloga
CRFa 1-15314
Revista Saúde Perss

Fabrício Bastos
Professor de Educação Física
CREF/RJ 02 6331
Formado na UNIVERSO
Credenciado - Core 360 e Bpro
bastos.personal@gmail.com
ATIVIDADE FÍSICA AJUDA A ATIVAR O CÉREBRO EM QUALQUER FASE DA VIDA
Os exercícios deixam nossos neurônios mais capacitados para responder aos desafios do dia a dia.

Saber que a prática de atividade física já faz bem para a mente e o corpo, todos nós já sabemos. Porém, os benefícios vão muito além de manter ou perder peso, entre as vantagens para a saúde como: a redução do risco de hipertensão, doenças cardíacas, acidente vascular cerebral, diabetes, câncer, depressão entre outros, ela pode prevenir a perda de memória relacionada ao Alzheimer, de acordo com uma pesquisa publicada nesta na revista Nature Medicine, além de aumentar os benefícios comportamentais como: disciplina, concentração, resiliência e trabalho em equipe estão entre os valores que auxiliam a sobrepujar desafios mentais a cada dia.

“As revisões científicas apontam que a prática de exercícios diminui o risco de comprometimento cognitivo leve em 35% e o de Alzheimer em 51%”, contextualiza, Andrea Camaz Deslandes, profissional de educação física e coordenadora do Laboratório de Neurociência do Exercício da UERJ.

Aquela história de que o número de neurônios não muda na fase adulta é balela. E os exercícios físicos são prova disso. Eles fazem aumentar a quantidade de células nervosas no cérebro, além disso, essas unidades passam a receber um aporte sanguíneo extra e ganham ramificações para se comunicarem com eficácia. São estas mudanças que ajudam a explicar o fato de o sedentarismo ser o terceiro maior fator de risco passível de intervenção para demências.

Quando o corpo se exercita, o tecido muscular libera o hormônio irisina, que entra em circulação no organismo e é capaz de melhorar a capacidade cognitiva, como comprovaram especialistas da UERJ e da Universidade de Columbia (Estados Unidos) em estudo com ratos com essa doença.

Os cientistas responsáveis pelo estudo, demonstraram que o aumento da irisina, assim como sua proteína precursora FNDC5, reduz o déficit de memória e aprendizagem em roedores com Alzheimer.

Mas é importante respeitar os limites do corpo do idoso e encontrar uma atividade que lhe dê prazer.

No entanto, o exercício libera, além da irisina, neurotransmissores como: a serotonina, a dopamina e a endorfina, que afetam o humor e o bem-estar mental. A atividade física mobiliza uma série de hormônios e substâncias que, em conjunto, têm uma ação protetora.

Vantagens para todas as idades

As crianças também podem vir a se beneficiar intelectualmente da atividade física. O exercício na fase de desenvolvimento do cérebro favorece a formação de uma rede neuronal mais densa e oferece mais apoio para funções como memória e aprendizagem.

A prática de atividade física na infância tem importante papel para prevenção de várias doenças, controle da obesidade, tal prática promove vários outros benefícios para a saúde infantil, tais como: estímulo do crescimento e desenvolvimento; fortalecimento dos ossos, músculos e articulações; melhora da postura e equilíbrio; aumento da sensibilidade à insulina; melhora do perfil lipídico; melhora da autoestima; melhora do foco e concentração; domínio do próprio corpo.

A criança que pratica exercício físico tende a ter uma melhor qualidade de sono, maior capacidade de concentração e aprendizado na escola, além de uma melhora na coordenação motora. Através da atividade física, a criança conhece melhor o seu corpo, suas limitações e suas capacidades.

Desta forma, e diante a tantos benefícios, devemos estar sempre em movimento independente da idade!

Essa é a nossa mentalidade! Mude sua mente, alcance suas metas! Bons treinos!!

Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.