Revista Saúde Perss
CAPA / ENTREVISTA
Dr. Vinícius Alcantara Cunha Lima
Ortodontista
CRO-RJ 31 162

Revista Saúde Perss

Luísa Chacur Naked
Nutricionista
CRN 18 100966
Graduada em Nutrição na Universidade Estácio de Sá
luisa_chacur@hotmail.com
OBESIDADE NA INFÂNCIA
A obesidade é uma doença associada a alterações metabólicas no organismo e dela podem se originar várias consequências. De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a obesidade na infância é um problema de saúde pública que apresenta um notório crescimento devido especialmente à má qualidade da alimentação e à falta de hábitos saudáveis, no tocante à prática de atividades físicas dos infantes.

Diversos estudos apontam que a obesidade infantil promove consequências que poderão ser sentidas inclusive na vida adulta. Crianças obesas são mais propensas a terem problema de obesidade também nos estágios seguintes da vida. Hábitos como: o consumo de líquidos altamente calóricos e a ingestão de baixa variabilidade de alimentos quando adquiridos desde cedo na vida de uma pessoa se tornam, por vezes, muito difíceis de mudar.

Existe um marketing intenso em meios de comunicações tecnológicas. Grande parte das propagandas são de produtos processados o que desperta um desejo de consumir este tipo de mantimento. Figura também como causa relevante o sedentarismo. Nota-se que a interação da criança com jogos de celular, desenhos e em redes sociais, por exemplo, cresce ao passo que atividades que promovem um maior gasto de energia como: as brincadeiras de pique e queimado são cada vez menos praticadas.

O ambiente exerce influência nos hábitos e escolhas dos indivíduos e sabe-se que a infância é uma excelente fase para se promover a educação nutricional, especialmente, nos âmbitos familiar e escolar por serem onde a criança mais vive e interage. Isso posto, é importante mencionar que a mudança mais efetiva começa em casa onde na maioria das vezes, os pais são modelos para os filhos, e nisso, inclui-se a alimentação. Com isso, para promover um estilo de vida de maior qualidade é importantíssimo que os responsáveis também tenham bons hábitos e procurem substituir no cenário domiciliar alimentos menos saudáveis como os industrializados (biscoitos, refrigerantes, sucos de caixinha entre outros) por alimentos de maior qualidade como os 'in natura' (frutas, verduras e legumes frescos) e sejam bons exemplos para seus filhos.

Vale ressaltar que a organização é imprescindível. Pode-se aproveitar uma tarde de um sábado ou de um domingo para organizar os lanchinhos da escola. Uma dica prática são receitas de bolos saudáveis, que podem ser separadas em porções e colocadas em potinhos para o decorrer da semana.

Uma boa estratégia que os pais podem inserir na rotina é determinar um tempo para assistir TV ou ficar em eletrônicos para que o(a) filho(a) procure outras brincadeiras mais dinâmicas. Pode-se ensinar que a hora da refeição é o momento em família. Além de proporcionar diferentes sabores ao paladar infantil, ofertando legumes e frutas.

Conclui-se que a obesidade infantil deve ser tratada e evitada. A melhor forma é procurar ter uma alimentação balanceada individual, realizar atividades físicas durante a semana, ter uma organização alimentar e dar preferência ao estímulo à criança para comer alimentos in natura.



Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.