Revista Saúde Perss
CAPA
Clínica Proteus

ENTREVISTA
Dr. Leonardo Bacelar
Clínica Médica e Psiquiatria Clínica
CRM 52 64691-1
Revista Saúde Perss
Dra. Fernanda Guimarães de Almeida Fróes
Nutróloga e Medicina Estética
CRM 52 84898-0
Especializada em nutrologia pela ABRAN
emagrecentrocampos1@hotmail.com
SOBREPESO & OBESIDADE
Este é um tema de suma importância e seriedade no cenário clínico do Brasil e do mundo. O sobrepeso e a obesidade são condições médicas cada vez mais comuns atualmente.

Segundo dados do Ministério da Saúde, 50% dos homens e 48% das mulheres se encontram com excesso de peso, sendo que 12,5% dos homens e 16,9% das mulheres apresentam obesidade.

Diversas doenças estão associadas ao sobrepeso e a obesidade, como: diabetes, hipertensão arterial, apneia do sono, problemas articulares (como: artrose e gota), alguns tipos de câncer (câncer de endométrio, vesícula biliar, mama, cólon, rim), sem contar os problemas psicossociais, como: baixa autoestima, isolamento social e depressão. É considerado uma condição clínica, devendo ser abordado de forma multidisciplinar e com acompanhamento médico.

Os efeitos da obesidade podem ser ainda piores para os mais jovens, pois tendem a desenvolver com mais intensidade problemas emocionais e sociais, em que muitas vezes, se estendem para a vida adulta. Os hábitos alimentares e a falta de prática de atividades físicas, além de prejudicarem a saúde da criança, podem acarretar em doenças na vida adulta. Dados revelam que adolescentes com obesidade aos 19 anos têm 89% de chance de ser obeso aos 35 anos. Muitos adultos mantêm hábitos praticados na infância, o que torna essencial que os pais busquem educar seus filhos para uma vida saudável, para que se consiga um efetivo avanço na redução do sobrepeso e obesidade.

Outros dados do SISVAN (Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional), publicados em outubro de 2018, apontaram que, em 2017, 55% dos adolescentes acompanhados pela pesquisa, consumiram produtos industrializados regularmente, como: macarrão instantâneo, salgadinho de pacote ou biscoito salgado. Além disso, 42% desses jovens ingeriram hambúrguer e/ou embutidos; e 43% biscoitos recheados, doces ou guloseimas.

Todos os programas de tratamento do excesso de peso requerem mudanças nos hábitos alimentares, aumento de atividade física e mudanças comportamentais. Estes três fatores certamente são a base do tratamento e devem estar presentes em qualquer programa de emagrecimento.

Quanto peso devo perder para já notar melhora na minha saúde? A perda de 5% a 10% do peso inicial muitas vezes já é suficiente para que haja melhora significativa de vários problemas relacionados ao excesso de peso, como: diminuição dos níveis de glicose, triglicérides e/ou colesterol, melhora do controle da pressão arterial e melhora da qualidade do sono, de dores articulares, cansaço e fadiga, entre outros.

É claro que o paciente pode buscar a normalização do IMC, mas é importante destacar que mesmo perdas de peso mais modestas, podem trazer grandes benefícios para a saúde e devem ser valorizadas.


Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.