Revista Saúde Perss
CAPA
Clínica Proteus

ENTREVISTA
Dr. Leonardo Bacelar
Clínica Médica e Psiquiatria Clínica
CRM 52 64691-1
Revista Saúde Perss
Dr. Leonardo Bath Bacelar da Silva
Clínica Médica, Geriatria e Psiquiatria Clínica
CRM 52 64691-1
Pós graduado em geriatria e gerontologia pela Estácio de Sá e em psiquiatria e psicopatologia pela Faculdade Redentor.
lbath@terra.com.br
ENTREVISTA Dr. Leonardo Bacelar
A Proteus é uma empresa de consultoria em saúde e segurança ocupacional que avalia, realiza diagnóstico, elabora e implementa programas em medicina ocupacional e engenharia de segurança do trabalho. Atua há 12 anos em Campos e região, sempre com foco na qualidade e seriedade dos serviços prestados. Nesta edição da Revista Saúde Press, entrevistamos o Dr. Leonardo Bacelar, sócio e diretor da empresa.

SP - Dr. Leonardo Bacelar, conte-nos sobre seu perfil profissional, pessoal, sua carreira?
LB – Considero-me um apaixonado pela clínica médica. Acredito que o consultório é uma arte e um exercício à escuta e tenho prazer em estar com os pacientes. Sou formado em medicina desde 1997, pela Faculdade de Medicina de Petrópolis, especialista em clínica médica pela Sociedade Brasileira de Clínica Médica e em psiquiatria, pela Associação Brasileira de Psiquiatria. Fiz pós-graduação em algumas áreas: clínica médica, geriatria e gerontologia, psiquiatria e psicopatologia, hematologia laboratorial, medicina do trabalho, medicina intensiva e administração em Saúde/MBA executivo em Saúde pelo Coppead, UFRJ. Sou casado com a Priscila Stojak, com quem compartilho minha vida e a gestão da Proteus e tenho duas filhas, a Fernanda de 16 anos e a Letícia de 11 anos.

SP - Em sua rotina, o senhor concilia a gestão da empresa e a atuação como médico?
LB - Eu compartilho a administração da Proteus com a Priscila, que é administradora de empresas e também é a responsável pelo setor financeiro e pela área de planejamento e gestão de carreira. Atendo nas áreas de clínica médica, medicina do trabalho e psiquiatria.

SP - Qual é a sua área de atuação no Laboratório Plinio Bacelar, que pertence a sua família?
LB - Lá no Plinio Bacelar faço consultoria médica, auxiliando exclusivamente na parte médica.

SP - Como descobriu a vocação para a medicina?
LB - O meu histórico familiar favoreceu, meu avô Plinio Bacelar, era médico e um estudioso da medicina e meu pai, Carlos Bacelar, biologista, acabaram por me apresentar um fascínio pela área da medicina e do diagnóstico que, naturalmente, foi delineando o meu caminho.

SP - Dr. Leonardo, o Sr. deixa transparecer um encantamento pela psiquiatria. É sua grande paixão?
LB - É sim. Gosto muito de escutar, é uma área que sempre me atraiu e fui me apaixonando aos poucos. No consultório, eu trabalhava com clínica médica e geriatria e fui caminhando para a psiquiatria naturalmente. Há cerca de 10 anos fui convidado a trabalhar no CAPS, com pacientes envolvidos em álcool e drogas, e isso, acabou me estimulando ainda mais a fazer a especialização em psiquiatria e posso considerá-lo como o motor propulsor. Percebi que poderia ajudar mais as pessoas. A psiquiatria tem uma função social muito grande, de ajuda e entendimento. As doenças graves hoje são mais controladas e tratadas com atendimentos multidisciplinares com aliadas como a psicologia e a terapia ocupacional, entre outras. Os males do século XXI são o estresse e a ansiedade.

SP - Quando surgiu a vontade de empreender e por quê?
LB - Foi uma oportunidade. O Grupo EBX veio para Campos para dar início ao projeto do Porto do Açú e procurou laboratório para atendê-los e, então, junto com meu pai, Carlos e meus irmãos, Renato e Pedro, decidimos montar uma Clínica de Medicina Ocupacional. Nesta época fiz uma especialização em medicina do trabalho.

SP - Quais são os serviços prestados pela Proteus?
LB - A Proteus oferece um sistema de gerenciamento específico e único para cada empresa, garantindo um atendimento diferenciado. Realizamos elaboração, coordenação e gerenciamento de laudos, PPRA, PCMSO, LTCAT, análise ergonômica do trabalho, mapa de risco, exames médicos ocupacionais e exames complementares, entre outros. Além da saúde ocupacional, há um atendimento mais amplo, com programa de qualidade de vida, treinamentos, planejamento e gestão de carreira, fisioterapia e acupuntura. Fomos a primeira empresa de medicina do trabalho e engenharia de segurança na região a receber a Certificação ISO 9001.

SP - Uma necessidade maior de produtividade e competitividade tem levado às empresas a darem mais importância à saúde e segurança do trabalhador? Fale para os nossos leitores em que consiste?
LB - Saúde e segurança operacional sempre foram vistos como um custo, mas devem ser incorporados como investimento, pois ajuda a reduzir o absenteísmo, evitar doenças, melhorar a performance, e agora, mais do que nunca, porque com o eSocial, as fiscalizações serão automáticas, todos os dados se cruzam. O colaborador é um ativo e quando se investe em qualidade de vida do trabalhador, em ergonomia, em melhores condições no ambiente de trabalho e em outros fatores relacionados. Maior é a possibilidade da retenção de talentos, permitindo o crescimento da organização. É uma troca que afeta a competitividade das empresas, melhora o ambiente e as relações de trabalho, e consequentemente, diminui custos, ao contrário do que se pensa. A prevenção é sempre mais vantajosa, tanto para a empresa, quanto para o colaborador, do que sanar um problema instalado.

SP - E a engenharia de segurança, como atua?
LB - A engenharia de segurança atua com engenheiro e técnico para análise e diagnóstico de riscos no trabalho, como por exemplo: trabalho em altura, com agentes químicos, biológicos, uso de EPI´s (equipamentos de segurança). A engenharia de segurança antecede a medicina do trabalho, é a base para manter as estruturas dentro dos parâmetros legais e a medicina do trabalho atua nas consequências, prevenção e controle dos agentes de risco.

SP - A prestação de serviços na área de medicina e saúde ocupacional é destinada apenas a grandes empresas?
LB - Não, prestamos atendimento às pequenas, médias e grandes empresas do Norte Fluminense. Com o advento do eSocial, há uma nova necessidade, a de prestar consultoria e por conta disso modificamos nosso sistema de gestão e orientamos as empresas a modificarem também os seus sistemas. Estamos investindo e dando um passo à frente, passamos por uma transformação em nosso modus operandi e já estamos preparados para quando o eSocial atingir a fase obrigatória em SST.

SP - Em que consiste o eSocial, e quais são as principais mudanças propostas?
LB - O eSocial é um projeto do Governo Federal que visa modernizar o modelo brasileiro das relações de trabalho e tem como objetivo consolidar o envio de informações da área trabalhista para CAGED, GFIP, RAIS e DIRF em uma única entrega. Sua implantação atingirá empresas de todos os portes, ou seja, qualquer empresa que tenha pelo menos 1 colaborador registrado (CLT) e pretende fazer com que a relação entre empregados e empregadores se torne mais transparente. É uma plataforma eletrônica que cria uma base única e centralizadora deste conjunto de informações. Para as empresas, a centralização das informações em um só lugar, muitas vezes eliminando documentos que acabavam sendo entregues em duplicidade, é uma forma de proporcionar mais agilidade à prestação de contas. Para o Governo Federal, o benefício maior é a agilidade e facilidade na fiscalização das informações. Isso dificulta a vida de empresas que sonegam impostos ou que não agem em conformidade com o que a legislação prevê. Com o aumento da eficiência da fiscalização, aumentam também as receitas do governo com a arrecadação de tributos.
O eSocial terá impacto direto na vida dos colaboradores, por exemplo, haverá um controle mais rígido de questões que envolvem a saúde e a segurança dos empregados por meio de monitoramento de casos de afastamentos médicos e doenças do trabalho. Assim, as práticas de gestão adotadas pelas empresas ficarão mais evidentes, de modo a reforçar a necessidade de obediência à atual legislação trabalhista sob risco de penalidades e intervenções.
O eSocial não traz mudanças na questão trabalhista, entretanto, é preciso mais atenção e rapidez nos processos, que serão mais confiáveis e, por outro lado, permitirão uma maior cobrança governamental. Dessa forma, é preciso se adaptar e estar atento a essa nova exigência.

SP - Na prática, as mudanças propostas pelo eSocial afetam diretamente as áreas de RH e contábil. E nas áreas de medicina e engenharia de segurança?
LB - É exatamente isso, o preparo pelas empresas para o eSocial, na parte contábil e de recursos humanos, deve garantir a entrega correta e nos prazos dos arquivos digitais, organizar as informações da folha de pagamento e das obrigações trabalhistas, previdenciárias e fiscais, de acordo com um cronograma pré-estabelecido e já em vigência. E na parte de saúde e segurança do trabalho buscar consultorias e, caso a empresa não tenha SESMT, realizar a documentação necessária com empresas especializadas em medicina do trabalho e engenharia de segurança que garantam a qualidade técnica dos serviços prestados, respeitando também os prazos e o cronograma do eSocial. Por conta dessas mudanças, adequamos o sistema e atendimento da Proteus, para oferecer todo o suporte necessários aos nossos clientes.

Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.