Revista Saúde Perss
CAPA | ENTREVISTA
Dra. Jodinéa Melo Maurício Cesário
Pediatra e Médica do Trabalho
CRM 52 7572-76
Revista Saúde Perss
Dra. Jacqueline Renault
Médica ortomolecular e medicina do esporte
CRM 52 506206
Formada pela UFRJ
drajrenault@hotmail.com
MEDICINA FUNCIONAL OU ORTOMOLECULAR - UMA VISÃO DIFERENTE DA SAÚDE
A medicina funcional ou ortomolecular trata o indivíduo como um todo, visando restaurar o funcionamento natural do corpo. Sendo assim, trata das necessidades da saúde de uma maneira global, preventiva e natural, utilizando suplementos como:
  Vitaminas;
  Minerais;
  Aminoácidos;
  Ervas;
  Nutracêuticos...(alimentos que trazem benefícios que  vão além de prover nutrientes essenciais) e remédios homeopáticos. Esse tratamento leva em consideração os fatores genéticos, as alterações bioquímicas, os fatores ambientais e o estilo de vida adotado por cada indivíduo, tudo o que poderia influenciar a saúde a médio e longo prazo; aumentando ou não a chance do aparecimento de doenças crônicas. Essa forma de tratamento prioriza as mudanças de hábitos de vida, promovendo um envelhecimento com mais independência e vitalidade. Não basta viver mais, e sim, viver com qualidade, usufruindo plenamente de todas as capacidades do indivíduo, tanto física quanto mental. Como o Dr. Helion Póvoa já dizia em fins dos anos 80: "Viver mais e melhor".  A medicina tradicional é orientada para o diagnóstico e tratamento das doenças já instaladas. Dizer que conseguimos controlar as doenças crônicas com medicamentos, sejam eles anti-hipertensivos, antiglicemiantes, antidepressivos, dentre outros, não significa ter saúde verdadeira, mesmo porque, ao ingerir esses medicamentos regularmente, toda uma lista de efeitos adversos começam a surgir.  Detectar precocemente as doenças é um grande avanço da medicina convencional, promovendo um maior tempo de sobrevida, porém, essa identificação só ocorre quando a doença já está instalada. O objetivo maior da medicina funcional é a prevenção das doenças, ou seja, atuar no organismo, quando ele ainda está são; porém, constatando todas as potencialidades que possam fazê-lo adoecer. Nenhuma doença surge repentinamente, algumas levam anos para se manifestar, e as alterações se iniciam a nível metabólico/celular, não identificada pela medicina convencional, especializada na medicina da doença, focada, principalmente, no diagnóstico e tratamento. Então, como fazer a real prevenção das doenças crônicas? Isso é alcançado através da avaliação dos exames laboratoriais de forma diferente, focando nos seus níveis ideais de saúde, e não nos níveis “normais” de uma população, solicitando marcadores específicos de prevenção, equilibrando os níveis hormonais, solicitando testes genéticos quando necessários, solicitando testes de intolerância alimentar por IGG, realizando orientação nutricional personalizada, focando na perda de peso e a suplementação de vitaminas, minerais e aminoácidos, promovendo a saúde intestinal, detoxificando o corpo de agentes estranhos, como: metais pesados, parasitas, químicos e micro-organismos, aumentando a reserva metabólica pessoal e melhorando o bem-estar geral, para que o indivíduo consiga efetivamente realizar exercícios físicos regulares e usufruir o melhor da vida. Temos consciência que o envelhecimento é inexorável, mas não basta apenas cuidarmos da alimentação, atividade física e repor hormônios. É necessário preparar o corpo que envelhece, otimizando suas funções e minimizando os efeitos desse envelhecimento. Envelhecer é um fato que muitas vezes negamos, pois ninguém quer isso para si, mas, já que não existe como parar esse processo, podemos minimizar às suas consequências, a medicina funcional ou ortomolecular pode ajudar.

Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.