Revista Saúde Perss
CAPA
Rad-Med
Revista Saúde Perss
ENTREVISTA
Dr. Carlos Mário Mello de Souza
Radiologia
CRM 52 32139-2
Revista Saúde Perss
Dra. Fernanda Guimarães de Almeida Fróes
Nutróloga e Medicina Estética
CRM 52 84898-0
Especializada em nutrologia pela ABRAN
emagrecentrocampos1@hotmail.com
SOBREPESO & OBESIDADE
O sobrepeso e a obesidade são condições médicas cada vez mais comuns. Segundo dados do Ministério da Saúde, 50% dos homens e 48% das mulheres se encontram com excesso de peso, sendo que 12,5% dos homens e 16,9% das mulheres apresentam obesidade.

A obesidade é caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, podendo ter início em qualquer fase da vida. Nas últimas décadas, a sua prevalência aumentou significativamente em todas as faixas etárias, tornando-se uma epidemia global. Concomitantemente ao processo de sua instalação, também pode ocorrer o desenvolvimento de anormalidades metabólicas, como: o aumento excessivo de triglicérides, colesterol total, lipoproteínas de baixa densidade e glicemia.

Diversas doenças estão associadas ao sobrepeso a obesidade, como: diabetes, hipertensão arterial, apneia do sono, problemas articulares (como: artrose e gota), alguns tipos de câncer (câncer de endométrio, vesícula biliar, mama, cólon, rim), sem contar os problemas psicossociais, como: baixa autoestima, isolamento social e depressão.

Assim, a obesidade facilita o desenvolvimento de várias doenças crônicas não transmissíveis. Além do componente genético, mais fatores afetam potencialmente o desenvolvimento da obesidade, como: os hábitos alimentares, o gasto energético diário, o uso de medicamentos, entre outros.

Todos os programas de tratamento do excesso de peso requerem mudanças nos hábitos alimentares, aumento de atividade física e mudanças comportamentais. Estes três fatores, certamente são a base do tratamento e devem estar presentes em qualquer programa de emagrecimento. É considerada uma condição clínica, devendo ser abordado de forma multidisciplinar e com acompanhamento médico.

Qual o peso que devo perder para já notar melhora na minha saúde?

A perda de 5% a 10% do peso inicial, muitas vezes, já é suficiente para que haja melhora significativa de vários problemas relacionados ao excesso de peso, como: diminuição do colesterol, melhora do controle da pressão arterial e da glicemia e melhora de dores articulares. É claro que o paciente pode buscar a normalização do IMC (Índice de Massa Corporal), mas é importante destacar que, mesmo perdas de peso mais modestas, podem trazer grandes benefícios para a saúde e devem ser valorizadas.

A obesidade é uma das principais causas de morte evitáveis em todo o mundo, com taxas de prevalência cada vez maiores em adultos e crianças. Em 2015, 600 milhões de adultos (12% do total) e 100 milhões de crianças eram obesas. A obesidade é um dos mais graves problemas de saúde pública do século XXI. Conseqentemente, combater a obesidade e prevenir a instalação de várias comorbidades associadas, tornou-se uma necessidade universal.


Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.