Revista Saúde Perss
CAPA
Clínica
Emagrecentro
Revista Saúde Perss
ENTREVISTA
Dra. Fernanda Guimarães
de Almeida Fróes
Nutrologia & Medicina Estética
CRM 52 84898-0
Revista Saúde Perss
Dra. Gabriela Moreira dos Santos
Médica Dermatologista & Estética
CRM 52 94723-7
Pós graduada em medicina estética pela SBME - membro efetivo da Sociedade Brasileira de Medicina Estética
gabrielamoreiradra@gmail.com
A PELE E OS PROBLEMAS ASSOCIADOS À FIBROMIALGIA
A fibromialgia, em alta na mídia, após a cantora Lady Gaga ter revelado sofrer dessa condição física, que levou ao cancelamento de sua apresentação no maior evento de música do planeta, o Rock in Rio.

Uma doença que causa dor e sensibilidade em todo o corpo, a fibromialgia pode levar anos até ser diagnosticada, já que resultados de exames parecem estar normais, o que dificulta para os médicos explicar de onde vem a dor. Não se sabe a causa exata, mas é sabido que afeta sete vezes mais mulheres do que homens. Além da dor, quem sofre da doença, também pode sentir rigidez muscular, fadiga, maior sensibilidade, dores de cabeça e dificuldades para dormir. Outros possíveis sintomas são: problemas de memória e de concentração, bem como: síndrome do intestino irritado e também doenças da pele!
 
As causas dos problemas da pele associados à fibromialgia são, ainda, um mistério para os médicos, cientistas e investigadores. Ninguém tem a certeza de que a pele seja tão gravemente afetada pela doença.
 
Acredita-se que a doença está relacionada a níveis anormais de certas substâncias químicas no cérebro e com mudanças na forma como o sistema nervoso central que inclui o cérebro, a medula espinhal e os outros nervos processam a informação sobre a dor. Assim como também acredita-se em uma predisposição genética. Os genes poderiam fazer uma pessoa reagir intensamente a coisas que outras pessoas não achariam tão dolorido.
 
A fibromialgia impede que o cérebro leia corretamente os sinais de dor o que pode provocar sensações exacerbadas. Os receptores à superfície da pele são responsáveis por enviar ao cérebro a mensagem da dor. Como já sabemos, os doentes de fibromialgia têm problemas com a capacidade do cérebro para interpretar sinais, se estes receptores não souberem interpretar a sensação, enviam uma mensagem errada ao cérebro, o que agrava a situação.
 
Os pacientes com fibromialgia estão relacionados com um grande número de afecções da pele,  70 a 80%  sofrem com algum tipo de problema da pele relacionadas com a sua doença, o que além das queixas normais parecem tornar os sintomas ainda piores.  Pode ser mais difícil escolher que roupa usar, lugares a ir, interferindo até mesmo, na vida diária. Muitos dos problemas podem ocorrer em simultâneo com outros ou tornarem-se crônicos. A pele seca, por exemplo, pode tornar o sono mais difícil e aumentar a dor e a fadiga, esta é uma das afecções mais comuns;  o prurido pode também ser resultado dos sinais mal interpretados pelo cérebro. Muitas pessoas são acometidas com erupções em qualquer sítio do corpo, que provocam comichão, se arranhar demasiado, pode conduzir ao desenvolvimento de feridas, ou até mesmo, evoluir para uma infecção. 
 
A pele sensível, pode ser resultado direto de uma disfunção no sistema nervoso central, um grande número de fibromiálgicos refere que a sua pele dói com um simples toque, a isto chama-se alodinia, sensação dolorosa causada por um estímulo que em estado normal não causaria dor e pode levar desde vermelhidão e inchaço até hematomas e cicatrizes. Esses pacientes têm a pele constantemente seca ou com fissuras, o que pode aparecer em qualquer parte do corpo, mas afeta particularmente, as mãos e os dedos.
 
A pele dos pacientes com fibromialgia muda de cor, aparência ou tom com muita frequência. Manchas escuras podem aparecer em todo o corpo, particularmente, na parte inferior dos braços e das coxas. A exposição ao sol pode escurecer estas manchas ou provocar vermelhidão e inchaço. A descoloração ou manchas na pele podem ser resultado de uma atividade excessiva da glândula pituitária. Esta é responsável pela produção de um hormônio que produz melanina, responsável pelo pigmento que define a cor dos olhos, pele e cabelo. Por alguma razão, parece haver demasiada melanina na pele dos pacientes com fibromialgia.
 
Existem tratamentos disponíveis para aliviar os efeitos secundários de muitas das desordens provocadas pela fibromialgia. Cremes hidratantes são usados para tratar a pele seca, depois do banho quente, hidratantes específicos deve ser generosamente aplicado. Cremes à base de cortisona também podem ser usados em certas situações. A pele manchada pode ser tratada com cremes clareadores ou com terapia de luz ultravioleta. Explique a seu médico os sintomas que o afligem, a fim de que possa indicar o tratamento mais adequado para seu caso. 

Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.