Revista Saúde Perss
CAPA | ENTREVISTA
Dr. Rogerio Venancio
Cirurgião Plástico
CRM 5231757-4
Revista Saúde Perss
Fernanda Carvalho Sardinha
Fisioterapeuta
CREFITO 2 85112-F
Pós-graduação em ventilação mecânica - Faculdade Redentor
fernandacsardinha@hotmail.com
NEUROGÊNESE - NASCIMENTO DE NOVOS NEURÔNIOS E FISIOTERAPIA
         A neurogênese é a formação de novos neurônios. Por muitos anos, acreditou-se que o cérebro humano começava a se desenvolver na infância e parava na vida adulta, ou seja, você nascia com um número predeterminado de neurônios que iam morrendo ao longo de sua vida. No entanto, a neurogênese prova o contrário: o cérebro humano continua se desenvolvendo na idade adulta, pois continua a produzir neurônios. Esse acontecimento foi comprovado em duas estruturas do cérebro de pássaros, roedores, primatas e humanos: o bulbo olfatório e o giro denteado do hipocampo ocorre, resumidamente, em três estágios:

Desenvolvimento;
Aprendizagem;
E após processos lesionais. 

          Neuroplasticidade  é um termo abrangente que refere-se à capacidade do seu cérebro de se reorganizar fisicamente e funcionalmente, onde é muito influenciado pelo ambiente, comportamento, pensamento, emoções, e principalmente, exercícios físicos específicos. Mas não basta somente gerar novos neurônios, também precisamos mantê-los vivos e, para tal, pesquisas mostram que a aprendizagem de algo que requer esforço, algo desafiador, que utilize a dupla tarefa e a vivência em um ambiente que estimula a cognição ajudam a manter vivos os novos neurônios. Esse conjunto quando bem aplicado, falando em fisioterapia, interfere direta ou indiretamente no prognóstico da reabilitação do paciente neurológico, por exemplo. A neuroplasticidade é aprendizado-dependente ou atividade-dependente, onde quanto mais há estímulo cognitivo e dupla tarefa aplicada corretamente, mais eficiente é o tratamento e/ou a manutenção da qualidade de vida.
 
          A fisioterapia acompanhou as comprovações de neuroplasticidade e desenvolveu métodos de conduta em que vê o Sistema Nervoso Central como um órgão de reação ao invés de ação, e reage aos estímulos que para ele convergem a partir de fora e de dentro do corpo. Por isso, o ambiente de aprendizado influencia, esse deve ser:

Flexível;
Dinâmico;
Interessante;
Pode utilizar música;
Cores;
Livros;
Tintas...

          A atuação eficaz da equipe de reabilitação na estimulação da neuroplasticidade é de fundamental importância para a recuperação máxima da função motora do indivíduo. Isso implica na escolha certa do tratamento, na intensidade do mesmo, no período de maior recuperação da área lesada se for o caso, sua atividade funcional, profissionais capacitados e parceiros da fisioterapia como arteterapeutas e psicólogos, ainda mais que a "neurogênese" está diminuída perante doenças como a depressão e o estresse crônico, dois agravantes muito presentes nos dias de hoje.
 
         Portanto, já sabemos que nosso cérebro se remodela, o sistema nervoso se modifica quando o organismo é exposto a um ambiente rico em estimulação, não é só para pacientes neurológicos e com demências, pois nas demências como o mal de Alzheimer as atividades de dupla tarefa junto a fisioterapia motora, respiratória e cognitiva têm resultados excelentes, pois, a área onde se inicia o processo do Alzheimer é no hipocampo.
 
         O avanço da neurociência está a nosso favor, a fisioterapia utiliza novos métodos ou modifica os métodos já conhecidos com embasamentos científicos de acordo com os avanços na área. A dupla tarefa em idosos, psicomotricidade em geriatria, game terapia pélvica são alguns métodos muito utilizados na fisioterapia geriátrica onde uns dos intuitos é a de neurogênese. 

Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.