Revista Saúde Perss
CAPA | ENTREVISTA
Dr. Rogerio Venancio
Cirurgião Plástico
CRM 5231757-4
Revista Saúde Perss
Dra. Gisela Marins Dieguez
Cirurgiã Dentista
CRO 19 323
Especialista em ortodontia - Faculdade Redentor (Instituto Dentallis)
gmdieguez@yahoo.com.br
CUIDADOS COM O CORAÇÃO, COMEÇAM PELA BOCA
        Sabemos que é de extrema importância o estreitamento profissional entre dentistas e médicos, para tratamento da saúde geral do paciente.

        Os dentes, em especial aqueles submetidos a excesso de trabalho, são locais mais vulneráveis ao acúmulo de bactérias, podendo causar surtos de bacteremia transitórias (presença de grande número de bactérias no sangue, podendo gerar processo infeccioso).

       As bacteremias podem ser decorrentes de procedimentos odontológicos ou simples hábitos como escovação e uso de fio dental prévios cuidados, e tais atos provocarem ferimentos na boca, pois esta abriga um grande número de bactérias e poderão entrar na corrente sanguínea.

       O paciente cardíaco deve dar mais atenção à sua saúde bucal. Má escovação e bactérias estão ligadas as doenças coronárias e até infarto. O cuidado com a boca ajuda a proteger o coração.

        Sangramento gengival, ao passar o fio dental, é o primeiro sinal de alerta e significa acúmulo de placa bacteriana, podendo evoluir para gengivite (inflamação da gengiva).

        Muitos doentes cardíacos, têm em comum a periodontite, doença que ataca a gengiva e "abre" caminho para que bactérias entrem em nosso corpo. Da boca, as bactérias entram direto na corrente sanguínea e ficam com o caminho livre para qualquer órgão. No coração, elas podem causar inflamação nas artérias. Uma das doenças mais comuns nesse órgão, é a endocardite bacteriana. Essas bactérias, "caindo" na circulação poderão localizar-se nas válvulas cardíacas, causando endocardite bacteriana.

        Complicações cardíacas podem surgir a partir da endocardite infecciosa. A endocardite é uma doença que resulta num comprometimento significativo de vida dos seus portadores, bem como alto percentual na taxa de mortalidade, requerendo, muitas vezes, procedimentos cirúrgicos para sua total cura. A endocardite pode ser diagnosticada pelo exame clínico e com auxílio de exames complementares. Entre eles: 

Eletrocardiograma;
Hemoculturas;
Exame Cardiológico;
Cateterismo...

        Complicações não cardíacas graves também podem ocorrer, consequentes da encocardite, afetando outros órgãos.

        A prevenção deve começar com uso de fio dental, para correta remoção da placa bacteriana, e uma escovação cuidadosa, sempre com escova macia. O cuidado com a saúde bucal é preventivo também para complicações de outras doenças como: 

Diabetes;
Inflamação das articulações;
E até mesmo parto prematuros.

       Cuidados com a saúde bucal e visitas periódicas ao dentista diminuem os riscos de doenças cardíacas e devem fazer parte da prevenção dessas enfermidades.

       Por parte do paciente, além dos cuidados acima mencionados, deve ter em mente que todas as informações referentes a sua saúde devem ser relatadas ao cirurgião-dentista, mesmo aquela que ache não ter importância. Jamais omitir fatos de sua saúde.

       Para alguns procedimentos, o cirurgião-dentista deverá prescrever um antibiótico a ser tomado previamente a intervenção. Chamada de profilaxia antibiótica, que é a prevenção do desenvolvimento da infecção com administração de agentes antimicrobianos (antibióticos). Além disso, outro cuidado com paciente é realizar maior número possível de procedimentos numa mesma sessão, expondo menos o paciente ao uso de antibiótico.

Respeitar intervalo de sete dias entre as consultas. 

Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.