Revista Saúde Perss
CAPA | ENTREVISTA
Dr. Rogerio Venancio
Cirurgião Plástico
CRM 5231757-4
Revista Saúde Perss
Dr. Carlos Fabian Seixas de Oliveira
Médico-Oftalmologista
CRM 5270262-5
Diplomado pela FMC
Membro do CBO e SBO
carlosfabian@globomail.com
PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE GLAUCOMA
O que é glaucoma?
        Glaucoma é uma doença ocular crônica, portanto que não tem cura, mas controle e que provoca lesão no nervo óptico e alterações do campo visual, podendo levar a cegueira irreversível. Na maioria dos casos, o glaucoma vem acompanhado do aumento da pressão intraocular.
 
Por que a pressão dos olhos podem aumentar?
         Porque há um desequilíbrio entre a produção e o escoamento do humor aquoso produzido ininterruptamente nos olhos. Quando a produção passa a ser maior que a capacidade de escoamento por algum motivo, há o aumento da pressão dos nossos olhos. Esse aumento de pressão é o responsável pelos danos ao nervo óptico que prejudica o envio dos estímulos visuais para o cérebro.
 
Existe glaucoma com pressão ocular normal?
         Sim, existe. É o glaucoma de pressão normal.
 
Quais são os tipos de glaucoma?
         Os principais tipos de glaucoma são : crônico, congênito, secundário e de ângulo fechado.
 
Qual o tipo de glaucoma mais comum?
         É o crônico. Esse tipo de glaucoma costuma aparecer após os 40 anos de  idade e nas fases iniciais não possuem sintomas. O paciente não nota perda visual até aparecer os sinais de perda de campo visual, que pode chegar ao temível campo visual tubular. Nesse caso, ocorre grandes danos ao nervo óptico que levam ao dano no campo visual.
 
A criança pode ter glaucoma?
         Sim, a criança pode nascer com glaucoma congênito. Porém é incomum a hipertensão ocular em crianças que não nascem com glaucoma congênito.
 
E os outros tipos de glaucoma?
         Existem os glaucomas secundários que são decorrentes de complicações em cirurgias oftalmológicas, diabetes, traumas, uso de corticóides sem acompanhamento médico.
 
E o glaucoma de ângulo fechado?
         O glaucoma de ângulo fechado é uma urgência oftalmológica que se caracteriza pelo aumento abrupto da pressão dos olhos. Os sintomas são dores oculares intensas, vermelhidão, sensibilidade e dor ao toque, dor de cabeça severa que podem provocar vômitos. É o glaucoma agudo e, se o paciente não for tratado imediatamente, em questão de horas perderá a visão do olho afetado.
 
Quais são os fatores de risco para se desenvolver glaucoma?
         A pressão intraocular elevada é o principal fator de risco. Mas existem casos em que mesmo com pressão elevada não há danos ao nervo óptico; A idade avançada é um outro fator de risco; pessoas negras também têm mais chances de desenvolver o glaucoma que os caucasianos, principalmente entre os 30 e 40 anos de idade; portadores de diabetes descompensados; pessoas com altos graus de miopia; quem tem casos na família de glaucoma possui, sim, maior chance de ser um glaucomatoso no futuro. Há estudos que indicam que a hipertensão arterial sistêmica cause uma diminuição do fluxo sanguíneo que nutre o nervo óptico, podendo assim gerar danos ao mesmo e alterações do campo visual.
 
Como faço para descobrir a doença?
         O exame anual com um oftalmologista é essencial para a prevenção, diagnóstico precoce e o tratamento do glaucoma. Nessas consultas serão feitos diversas avaliações que poderão diagnosticar não só o glaucoma, mas como outras doenças, até mesmo sistêmicas. A primeira consulta com oftalmologista já pode ser feita a partir dos 2 anos de idade.
 
Como é feito o tratamento do glaucoma?
         O tratamento do glaucoma é feito com colírios que visam reduzir a pressão dos olhos. Hoje em dia, o arsenal terapêutico para o controle da hipertensão ocular é muito vasto e seu uso é individualizado para cada tipo de paciente. Com a adesão do paciente e o uso correto do colírio, o controle do glaucoma é certo e sua visão será preservada.
 
Em casos dos colírios serem insuficientes para o controle da doença, o que pode ser feito?
         Em casos refratários, isto é, que não respondem ao tratamento clínico, podemos lançar mão do tratamento com laser que abrirá um caminho para o escoamento do humor aquoso. Mas se mesmo esse falhar, poderemos optar pela cirurgia. Esses casos são uma minoria entre os portadores de glaucoma.

Se eu for diagnosticado com glaucoma devo me preocupar?
         Não, mas você deve seguir à risca as recomendações de seu médico oftalmologista, fazer as avaliações por ele recomendadas, assim como usar os colírios diariamente e nos horários corretos. Fazendo assim, sua visão será capaz de ver as belezas do mundo por muitos e muitos anos.
 

Compartilhe

Fale Conosco

Para conhecer mais sobre a nossa revista, enviar dúvidas, sugestões ou comentários você só precisa preencher os campos do formulário abaixo.